Sorriso: Justiça manda construtora ressarcir R$ 285 mil ao erário por abandonar obra de escola

(66) 9 9982-8122


NOTÍCIAS

Sorriso: Justiça manda construtora ressarcir R$ 285 mil ao erário por abandonar obra de escola

VGNOTÍCIAS   

31 de Julho de 2021 as 13:58

Internet

A 1ª Câmara de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça (TJ/MT), negou pedido da empresa Casaalta Construções Ltda e manteve decisão que a condenou a ressarcir R$ 285.292,02 mil ao erário por abandonar obra de escola no município de Sorriso (a 420 km de Cuiabá). A decisão consta do Diário da Justiça Eletrônico (DJE).

Em março de 2015, a Casaalta Construções firmou contrato com a Prefeitura de Sorriso cujo o seu objeto era a construção de Escola do Programa ProInfância. Porém, o contrato foi rescindido unilateralmente pelo município 17 de agosto de 2016, sob a fundamentação de descumprimento das obrigações contratuais por parte da empresa, anulando imediatamente o saldo empenhado no valor de R$ 1.214.352,19 milhão.

A Prefeitura de Sorriso entrou com Ação de Cobrança contra a empresa pelo descumprimento contratual. O Juízo da 4ª Vara Cível de Sorriso julgou procedente o pedido e condenou a Casaalta Construções ao ressarcimento dos danos causados ao município de Sorriso no valor de R$ 285.292,02, devidamente corrigidos pelo INPC e juros de mora em 1% ao mês, desde o desembolso.

Inconformada, a empresa entrou com Recurso de Apelação no TJ/MT sustentado que a Prefeitura de Sorriso se baseou na premissa do abandono da obra, alegando ter havido deterioração do material, almejando o ressarcimento do valor relativo ao pacote de materiais de PVC que totalizavam R$ 285.292,92. Todavia, segundo a Casaalta Construções, o dano alegado não foi comprovado, e ainda, que restou demonstrado, que inexiste ou se justifica o dever de indenizar o município, e que além disto, afirma que a paralisação da obra se deu em razão da falta de materiais e que não foi por sua culpa, requerendo anulação da sentença condenatória.

O relator do recurso, o juiz convocado, Gilberto Lopes Bussiki, apresentou apontando que a empresa não anexou ao processo qualquer documento que corrobore com suas alegações, “se furtando a apenas afirmar, que o abandono da obra não ocorreu, sustentando que não houve continuidade na prestação de serviços, em razão da ausência do fornecimento do material”.

O magistrado destacou que a empresa, foi notificada por duas vezes pela Prefeitura de Sorriso tendo apresentado sua resposta “onde assumia o compromisso de retomá-la e finaliza-la, demonstrando que poderia finalizar a obra”.

“Desta forma, de maneira inequívoca, tem-se realmente houve o abandono da obra, restando evidente que sua paralisação não ocorreu pela ausência de fornecimento de material, e, sim, por culpa da parte Apelante. Não obstante, verifica-se que a parte Apelante descumpriu com suas obrigações, as quais eram estipuladas pelas Cláusulas Contratuais, e, ainda, em razão do referido descumprimento, houve a deterioração do material que seria utilizado na obra”, diz trecho do voto.

 

 

LINKS JKNOTICIAS.COM. SE COLOCAR QUALQUER TIPO DE PROPAGANDA OU POSTAGEM OFENSIVA VAI SER DELETADO

GRUPO 01: https://chat.whatsapp.com/EVv5EyXdQ0e6if05G67JeF

GRUPO 02: https://chat.whatsapp.com/FeFn6ma7Jqe4xfXyTwgIMe

GRUPO 03: https://chat.whatsapp.com/HRzOGeB8KJa6JvdPyBB1Aa

GRUPO 04: https://chat.whatsapp.com/KCaLXc9lhVEGb60dIWjQsL

GRUPO 05: https://chat.whatsapp.com/BCLZXZIBtWm1RNpNq0fnwE

GRUPO 06: https://chat.whatsapp.com/FngknDIhco66ETR1vHG5vl

GRUPO 07: https://chat.whatsapp.com/IQw0JRaMG4BHG2rXiMxQig

GRUPO 08: https://chat.whatsapp.com/La56GCgR5Ps7t3cpyTkvWN

GRUPO 09: https://chat.whatsapp.com/Fdnc1sqKS1H2KjrhWxfb1f

GRUPO 10: https://chat.whatsapp.com/LW6vFZFy2x1AIVq6MSqNiG

GRUPO 11: https://chat.whatsapp.com/C8xQY3AZYpLE7RUm0UG6fw

GRUPO 12:  https://chat.whatsapp.com/Is9DtCjY74r5wJ49bIV98i

GRUPO 13: https://chat.whatsapp.com/HWoL6MsDtqUJ3dfrbASMM1

GRUPO 14: https://chat.whatsapp.com/Injl5vTc7e4CUMI8DsWjY0

GRUPO 15: https://chat.whatsapp.com/GWDUxYommvH8WfZ3PxNK5M

 

 



© 2019 - JK Notícias - Todos os Direitos Reservados