Sorriso: Adolescente, que desapareceu após deixa carta de despedida no facebook dizendo que iria cometer suicídio, é encontrado próximo a BR-163

(66) 9 9982-8122


NOTÍCIAS / Policia

Sorriso: Adolescente, que desapareceu após deixa carta de despedida no facebook dizendo que iria cometer suicídio, é encontrado próximo a BR-163

JKNOTICIAS COM REDE SOCIAL   

05 de Novembro de 2019 as 00:33

Rede Social

Amigos encontraram vivo, por volta das 23:15h desta segunda-feira ( 04/11), o adolescente João Vitor de 19 anos, que por volta das 19:00h escreveu um logo texto de uma possível despedida de amigos e familiares.

No texto ele fala que irá cometer suicídio e conta a sua historia sofrida de vida, na qual perdeu alguns familiares.

Segundo alguns amigos que entraram em contato com o JKNOTICIAS.COM, a policia já teria sido informada para ajudar nas buscas pelo jovem.

Após  a publicação do JKNOTICIAS.COM parte da cidade se voltou a procurar o adolescente João Vitor, que foi encontrado, abatido, nas proximidades de um mercado na Avenida Tancredo Neves, próximo a BR-163.

LEIA O TEXTO NA ÍNTEGRA

 

Ultimas palavras.
Sei que aqui não é o lugar, mas é isso.
Oi, me chamo João Vitor tenho 19 anos e gostaria que vocês que não me conhecem e os que conhecem leia até o final.
Este é um texto de despedida, sim, despedida, quer dizer que ou eu irei cometer um suicídio ou irei desaparecer sem ter/dar notícia minha a ninguém.
Vou começar contando minha história desde o nascimento de minha mãe. Vou contar o que eu sempre ouvi, doa a quem doer.
35 anos atrás, minha "avó" de sangue engravidou de minha mãe, até hoje ela diz que não sabe quem é o pai da mesma, mas o que minha avó adotiva sempre fala é que ela estava dando pra dois homens diferentes e engravidou de um assassino, quando o mesmo descobriu que ela estava grávida e estava dando para outro homem ele falou que iria mata-la junto com a criança que ainda estava na barriga. A mesma separou dele, pois estava com medo que ele fizesse o que realmente tinha dito. No entanto nesse meio que ela estava escondida ela teve a filha e a ofereceu para minha outra vó, estão o suposto pai de minha mãe matou uma filha inteira, desde bebês, crianças e adultos e fugiu, para onde não sei e também nem quero.
Minha avó um "amor" de pessoa não queria minha mãe, pois já tinha seis filhos, minha tia então ouviu ela oferecendo a criança e comentou com meu avô, um dos poucos que prestava nessa família, que Deus o tenha. Ela comentou com ele e falou que queria cuidar da minha mãe, minha avó não queria mas minha tia conseguiu fazer com que meu avô pegasse ela pra criar.
Pegou, minha mãe foi adotada e então faço parte da minha família atual.
Sempre rejeitada pela minha vó, minha mãe cresceu, começou namorar e teve minha primeira irmã, isso aos 14 anos. Ok, essa parte da minha irmã eu não conheço muito, só sei que minha irmã foi morar com a vó dela por parte de pai e se separou do pai dela.
Então 3 anos depois minha mãe já casada com outro homem "o que me fez" engravidou de mim, que Deus me perdoe mas eu odeio o fato de eu ser filho dele. Conto o porque mais a baixo.
Eu nasci, meu pai foi embora e adivinha ?
Minha terrível história começa aqui, óbvio que eu não me lembro do que se passou quando eu era um bebê/criança mas dês de que eu me entendo por gente eu me lembro que quem me criou foi minha avó adotiva, criava eu e mais alguns primos, eu era criança, morava num sítio era tudo lindo e feliz.
Cresci mais um pouco acho que tinha uns 8/9 anos, quando minha avó vendeu o sítio onde a gente morava logo após o falecimento de meu avô.
Chegando na cidade morei com ela um tempo . Sobre 3° marido da minha eu não me recordo muito, só lembro de um fato que acho que nunca vou me esquecer, minha mãe tinha ganhado minha irmã e fazia 2 dias que estava em casa, era noite quando ele chegou e deu um tapa no rosto dela, ela estava operada "de Cesária" minha sempre foi assim "doidona" homem não fazia o que queria com ela não. Ela operada correu com ele de casa, isso com uma faca kakakaka furou o tanque da moto todinha na faca e jogou fogo, tá, ele foi embora e minha mãe conheceu o 4° marido antes dela casar com o 4° eu ainda morava com minha vó. Estudei na escola Jardim Bela Vista 3 anos onde hoje é meu local de trabalho. Então Fui morar com minha mãe isso a 13 anos atrás, minha mãe estava casada com o 4° marido. Eu e ele não nós dava muito bem, ele era alcoólatra, nojento, e tacava na minha cara o prato de comida que eu comia, me recordo de minha tia levar minha irmã fazer exames pois pensávamos que ele tinha abusado dela,
Ele me agredia fisicamente e verbalmente e em alguns casos minha mãe me batia por eu fazer ou falar coisas sobre não gostar dele. Eu apanhava tanto que com 11/12 anos sai da casa da minha mãe carregando meu “trapos" em sacolas de supermercado. Imagina uma criança que viu que sua mãe precisava de alguma para ajudá-la em casa resolver sair pra parar com toda aquela briga e o "desgraçado" ficar para ajudar ela. Sim eu sai desta forma, voltei a morar com minha vó, lá eu cresci ouvindo que eu morava com ela por que minha mãe era uma vagabunda que tava na zona e que não presta a e tals, sabia que minha mãe tocava zona, mas ouvia e ficava calado, de noite chorava sozinho no quarto pra ninguém ver. Crescendo humilhado e ouvindo tudo isso da minha mãe eu fingia que não me afetava, eu penso que fui criado dessa forma por que não era neto de sangue, pois os outros tinha do bom e do melhor e eu só o necessário, nunca me faltou nada "não estou reclamando" crescendo humilhado eu levei minha vida, mas eu tinha alguém que gostava de mim. Comecei frequentar a casa de uma tia minha, aos poucos fui levando minhas roupas até que comecei a morar com ela. Só tenho a agradecer pois não sei onde estaria se ela não tivesse me ajudado tanto, até hoje acho que se precisar ela ajuda, morei com essa minha tia por 6 anos, até ano passado morava com ela. Visitava minha vó e sempre ouvia as mesmas coisas sobre minha mãe, morava com minha até o ano passado e acho que se não fosse o fato de nós termos que morar com minha avó por conta de doença ainda estaria com ela.
Ela estava doente e um tio meu morava com ela, por não ter casa e para cuidar.
Ele comprou a casa dele, casou e foi morar na casa própria, então eu e minha tia fomos morar na casa da minha avó para que ela não ficasse sozinha.
Morei lá 1 e alguns meses tranquilo, mas nós desentendendo por conta da humilhação, dessa vez com minha irmã de 12, os netos de sangue podem tudo, e minha irmã não. O fato foi que minhas primas estavam fazendo a tal da amoeba e quando minha irmã resolveu fazer minha vó remoeu "que bando de menino do capeta aqui na minha casa, não aguento mais tanta gente" e eu respondi, de fato todos os dias elas faziam esse brinquedo, respondi por que ela tinha falado aquilo, se todo dia brincavam porque que quando minha irmã tava lá ela disse esse monde de merda se o problema era minha irmã eu levava ela pra casa.
Ela me mandou calar a boca e passou, final do dia ela se juntou com uma outra senhora da rua pra fazer fofoca, pois penda numa lingua amaldiçoada é aquela. Envenena todo mundo e coloca uns contra os outros. Juntou com a outra senhora e eu ouvi ela dizendo " a hora que a ***** (nome da minha tia) sair aqui da minha casa o João Vitor também vai ter que arrumar um canto, pois aqui ele não fica" eu ouvi e fiquei calado. Juro pela minha alma. Eu sei que ela inventou um monte de coisas, sempre ouvi que era boca dura, mal educado, mal criado. Ta, não falei nada.
No outro dia chegou arregaçando a janela do meu quarto que eu tinha que trabalhar e isso e aquilo (era de madrugada)
Aí pedi pra fechar a já ela que eu estava dormindo e que não estava na hora. Então ela remou de novo… bem baixinho ela disse que eu tinha que arrumar um lugar pra ficar, pois ali ela não me queira mais. Ok, voltei pra casa da minha mãe "pior escolha possível"
Chego lá o meu padrasto que tinha parado de beber a 4/5 anos tinha voltado a beber e estava começando a dar dor de cabeça, porém eu não era mais uma criança e aguentaria qualquer consequência dali pra frente.
Isso foi a uns 4 meses, minha irmã mais nova 13 anos começou a sair de casa, começou beber e tava a achando que era dona da própria vida… virou uma vagabunda que não estuda mais, leva o namorado pra dentro de casa e se governa, acho que não é culpa dela, pois conviveu com esse tipo de pessoas, com as mesma atitudes.
Tudo bem, não queria me envolver muito, pois ali eu morava de favor " ouvi isso da minha mãe várias vezes. Da minha M.Ã.E"
Como todo final de semana era briga, porradaria e pizeiro eu já tava acostumado, me perguntaram até se eu usava drogas no trabalho, pois sempre chegava segunda com olhos vermelhos pois ficava sem dormir a noite passada, minhas notas na escola caíram e eu sempre sorrindo e ninguém percebia… fingia estar tudo bem.
Certo final de semana, meu padrasto que tinha voltado a beber, estava com minha mãe na casa da vizinha e começou a oferecer minha irmã de 12 anos para os desconhecido que estavam por lá. "Leva essa vagabunda aí, já tá dando pra todo mundo, faça o que quiser com ela" minha mãe quando ouviu, óbvio que não ia ficar calada.
Começou as agressões lá da casa da mulher, deu uns porradão nele e colocou ele no seu devido lugar, ele não satisfeito empurrou ela e a mesma caiu.
Já viram o demônio? Eu já, uma mulher brava que tinha acabado de ouvir sua filha "criança" ter sido oferecida para um desconhecido e acabado de ser agredida com empurrões "esse dia deu até polícia"
Lá vem minha mãe arrebentando com ele, ele só apanhava, de tão bebado que estava, por ser a primeira vez que ele encostou nela, ela estava transformada, só não sei no que, fiquei pasmo. Ouvi o pizeiro e sai lá fora, tava ela com o facão kkkkkkkk achei tão bom, deu umas facãozadas no sem vergonha, eu vendo aquele sangue todo e aquele estado achei a coisa mais boa do mundo, como nãootenho sentimento de nada achei o máximo.
Fui pegar o facão e ela deu as costas pro homem, ele empurrou ela de novo, aí foi minha vez de fazer alguma coisa.
Passou 4 dias dele lá morto no quarto "devido a cachaça" a casa fedendo horrores de gente bêbada. O bendito acordou passou uns dias a mãe dele começou passar mal e quase morreu, foi embora pra SC. Falei pra ela dar um jeito de terminar com esse homem e avisei que se ele voltasse uma vida estaria acabada, a minha ou a dele, e lembrei minha mãe de um fato que aconteceu quando eu era criança " acho que tinha no máximo 8 anos quando minha mãe já tinha contato com a mãe dela de sangue, ela inventa de me levar conhecer meu povo "sanguíneo" chego lá passamos alguns dias, minha mãe saiu com minha tia e me deixou na casa de uma tia com meus primos, estava eu, minha irmã mais velha e os 2 filhos da minha tia, de madrugada quando o homem chega da noitada, o mesmo estava alcoolizado ou drogado, não sei, mas os 2 começaram a discutir, nós 4 crianças, acordamos no meio da discussão e fomos ver o que estava acontecendo, o marido da minha tia pega e mata a mesma na minha frente, eu minha irmã e os 2 filhos dela vimos a todo memento ele matar ela com 27 facas a sangue frio, isso eu nunca apaguei da cabeça, nunca vi tanto sangue na minha vida, e não consigo esquecer dela jogada no único corredor de saída da casa, onde o desgraçado jogou o corpo para que a gente não conseguisse sair dali.
Isso pesa na minha alma de um jeito que não tem como explicar, imagina uma criança de na máximo 8 anos vendo uma pessoa sendo morta a facadas em sua frente, eu passei por isso.
Voltando ao meu padrasto, foi embora e eu avisei minha mãe, que essa coisa toda de briga toda semana e gente bêbada sempre acaba tragédia, e sempre dou minha tia de exemplo. Ela resolveu separar do cara, ele tá longe de casa. Minha mãe realmente gostava dele, foi o casamento dela que mais durou, 13 anos de casada.
Mas acho que isso abalou com ela, ela sempre foi de beber, mas com a separação parece que as coisas pioraram, festa em casa é todo final de semana, baile? Dos piores, até narguilé já vi ela fumando, pra mim ela está perdida e tentando se encaixar em alguma coisa, e como casou nova e não aproveitou a juventude está fazendo de tudo pra aproveitar agora, pra mim é triste ver isso e ter aguentar, mãe rebelde, irmã revoltada e eu com 19 anos um fardo em casa, amo meu trabalho mas pra mim não é garantido, pois é por contrato. Sempre fui caseiro, casa, trabalho, e escola, mas quando você vive isso muitas coisas mudam, comecei sair, aproveitar igual meus amigos, mas sempre com consciência, vivendo essa vida medíocre nunca experimentei qualquer tipo de drogas, só bebo e muito raro fumo cigarro, aproveitando com os amigos, me afastei das pessoas que moram comigo, estamos convivendo como desconhecidos, chego, me tranco no quarto, saio, quando volto me tranco de novo.
O jeito que estamos vivendo como desconhecidos levou a muita briga e humilhação, ouço muito que moro de favor, moro de favor mas isso nunca afetou.
O pior que eu ouvi foi numa discussão recente que tive com minha mãe e ela falou a coisa mais horrível que eu escutei.
Ela sabe que "O.D.E.I.O" o homem que me colocou nesse mundo pra sofrer. E me disse o seguinte
"Me arrependo do fundo do meu coração de não ter te dado pro teu tio quando ele te pediu" isso dói, é a pior coisa que você pode escutar.
Questionei por que que ela não me deu se não gosta de mim.
A resposta foi "Porque fui burra"
Não sou de chorar não, por tanta coisa que já passei aprendi ser forte e não chorar, mas quando chega a noite e coloco a cabeça no travesseiro isso tudo vem de um jeito que vocês não tem noção de como é.
Não tem como evitar as lágrimas, o nó na garganta e a vontade de acabar com isso tudo.
Hoje é o aniversário dela e estamos sem nós falar, pois exige tanto respeito e quando sai pra passar o final de semana entrou em meu quarto e pegou minhas coisas pra badalar com os bêbados e as pessoas que não gosto que frequentam minha casa.
Brigamos… discutimos ouvi novamente que moro de favor e que sou um merda, que nunca vou ninguém na vida.
Estou vivendo desta maneira, uma vida infernal, sem vontade de viver, porém vivendo por opção, pois se tivesse escolha não estaria assim.
Crises de ansiedade tenho direto, dores no estômago e compulsão por comer quando estou nervoso.
Meu amigos são minha saída daquele inferno, saio com eles, me divirto e assim vou levando, pra tentar esquecer isso tudo, mas quando eu chego naquela casa, pare e que estou carregando um elefante em minhas costas, me sinto mal, quero sumir, sinto a morte ali me chamando.
Aliás, um morto não passa por tudo isso.
Meu salário não paga um aluguel, água e luz, só tenho minha dignidade e não vou pegar uma responsabilidade dessa de alugar um lugar e não ter dinheiro pra me manter.
A e outra coisa, muitas pessoas me questionam sobre minha sexualidade, gente... Eu que vivo tudo isso vocês acham mesmo que tenho vontade alguma de ficar com alguém? Gordo por conta da compulsão, auto estima zero e zero vontade de viver. Não tenho sentimento algum, me questionam por um ocorrido que teve na minha infância, quando minha tia pegou eu e 2 primos fazendo sacanagem em cima de uma cama, aí por conta disse me questionam, mas já que tá na hora do desabafo vamos lá né, tios,tias, parentes e todos que tem dúvidas, eu não quero ser taxado de nada, não quero que alguém olhe para mim e fale tal coisa. Eu sou eu mesmo, gosto de tatuagens, de piercings, gosto de coisas que muitas pessoas gostam e outras não, quando eu digo que sou eu mesmo é porque eu vivo minha vida da maneira que eu achar melhor, se hoje eu quiser ficar com uma mulher eu fico, se amanhã eu quiser ficar com um homem eu vou ficar, além do mais por que já aconteceu, pra vocês parentes que tanto questionam e julgam, saiba que eu fiquei sim com todos… "T.O.D.O. S" os meus primos, os homens da família, já peguei todos, sabem o que isso ? Que todos eles também são eles mesmos, sei que muitos que se fazem de machão vão negar até a morte, mas acreditem eu João Vitor já fiquei com os meus priminhos. Quero que todos que a partir de agora começarem a me julgar vão tudo pro quinto dos infernos, aprendi a viver minha vida e sem me importar com o que muitos vão dizer ou falar , aliás, me lugar pra pedir se eu estou bem ou pra pagar uma conta ninguém liga, mas é isso ai família, o Joãozinho aqui fez o estrago .Pegou todos os machões da família feliz. Os que vao dizer que é mentira também, a, e os que vocês menos imaginam.
Não sou gay completo, fiquei apenas com meus primos a algum tempo e sempre tive a dúvida se era isso que eu queria pra mim, Até então eu dizia pra pessoas mais intimas que eu era bissexual, mas nunca fiquei com nenhum desconhecido nunca tive coragem, sempre tive medo de alguém ver e contar pra minha mãe, por mais que ela super aceita e tals.
Mas esse sou eu meu povo, eu vivo minha vida, eu faço minhas escolhas, e a partir de agora será assim. Sempre foi, mas agora é o meu máximo . O que eu quiser fazer eu farei e foda-se o que irão pensar ou dizer, quero distância de muitas pessoas, inclusive as que me olharão de cima em baixo depois de tudo o que eu disse aqui.
Aos que me querem bem, por favor não me trate com diferença, por ser um depressivo ou qualquer coisa, só aproveitem os últimos momentos comigo.
Peço desculpas para quem eu tratei mal ou que fiz/falei qualquer coisa que vocês não gostaram. E quem for vir encher o saco saiba que será totalmente ignorado.
Recentemente fiz uma tatuagem “Não é fácil ser EU”, muitos estão me perguntando a respeito, até zombam e dizem que não entende o porque, já que tenho tudo. Agora vocês sabem um pouco da minha incrível jornada “ Um filho abandonado pelo pai medíocre, criado pela sua vó e que cresceu sendo humilhado, que saiu de casa quando criança e que viu sua tia sendo morta a facadas”
Isso e mais um pouco diz o que realmente significa o porque da minha tatuagem “Não é fácil ser EU”
Pra quem olha e julga saiba que é muito fácil julgar, eu mesmo julgo as pessoas, mas vamos pesquisar saber um pouco mais sobre a vida de cada uma delas, a vida não e fácil pra ninguém.
Parentes e família, não e por que eu estou partindo que vocês tem que tomar atitude de mudar, devemos mudar para sermos pessoas melhores, chega de intriga na família, chega de aumentar as coisas, chega de fofoca, traição, mentira, chega de coisas ruins .Melhorem por vocês mesmos e não pelos outros.
Não me trate com diferença, trate como sempre, para alguns bem e para outros com falsidade, so não mude comigo.
E isso pessoal, sem julgamentos pois todos temos lutas interiores que precisam de tempo para serem vencidas, e a depressão não aparenta, olhem para mim, jovem feliz que vive dando risadas, contagia os outros e tira a tristeza de todos, só que na realidade é um bosta que não tem uma vida feliz que aparenta.
Não sou feliz, não vivo mil maravilhas como aparenta para alguns, e acreditem, isso não acontece somente comigo, o teu filho/primo/amigo pode estar passando pelas mesmas coisas ou piores e esta fingindo para não deixar você preocupado (a).
Triste ? sim, porem é minha vida e eu tenho que aceitar isso, pois não posso fazer nada para mudar, não me sinto feliz e nem arrependido, alias, ninca me arrependi de nada do que fiz, e nem irei, podem acreditar.
Só peço a todos que sejam vocês mesmos a mudança, que de atenção e carinho para aquela pessoa que você gosta, respeite as que não gosta e procure saber um pouco sobre a vida daquela pessoa que esta sempre trancada no quarto.
Acham que tenho vontade de viver ? não tenho e penso sim que a morte é a solução para esse tipo de ocasião. Meus agradecimentos a quem leu, palavras de bom agrado serão super bem acolhidas e desculpe qualquer coisa.
Isso é tudo, Adeus
.

Um amigo próximo a jaó Vitor nos enviou uma mensagem:

" A vida é um sopro ,   cuidem dos amigos de vcs , daquele amigo que vive contando seus problemas e vc achando que é drama, depressão não é fácil . Então valorize enquanto estiverem ao seu lado ,  porque um sorriso podem se esconder muitas dores”.

Telefone do Plantão e Zap do JK para sugestões de reportagem ou algum flagrante (66) 99982-8122.



© 2019 - JK Notícias - Todos os Direitos Reservados