MT: Secretário tranquiliza população e diz que paciente não apresenta sintomas de coronavírus

(66) 9 9982-8122


NOTÍCIAS / Policia

MT: Secretário tranquiliza população e diz que paciente não apresenta sintomas de coronavírus

Olhar Direto   

07 de Fevereiro de 2020 as 20:58

ILUSTRATIVA

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse em entrevista na manhã desta sexta-feira (07), em Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá), que a paciente K.C., 38 anos, internada e isolada no Hospital Regional da cidade não apresenta nenhum dos três sintomas que levantem suspeitas de que ela esteja com coronavírus. Conforme ele, possivelmente trata-se de uma síndrome gripal. Mesmo assim, todos os cuidados emanados pelo Ministério da Saúde têm sido tomados.

“Sequer é um caso suspeito. Nossa equipe analisou. Ela [paciente] não apresenta nenhuma das três alternativas para tornar isto um caso de investigação. Muito provavelmente é uma crise respiratória. A paciente não teve febre desde que chegou ao país e nem contato com alguém que tenha sido diagnosticado com a doença”, explicou o secretário.
 
Segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, a paciente não se enquadra como caso suspeito, já que não apresenta febre e pelo menos um sinal de sintomas respiratórios (tosse e dificuldade para respirar e histórico de viagem para Wuhan/China).
 
“[Os médicos] estão apenas acompanhando. Em um futuro bem breve a paciente deverá ter alta. Não tem motivo nenhum para a população se preocupar, pois não se trata de um caso suspeito de coronavírus”, finalizou o secretário.
 
Conforme a Prefeitura de Rondonópolis, assim que tomou conhecimento do fato, a secretária de Saúde Izalba Albuquerque encaminhou o caso para ser averiguado por um especialista infectologista da rede, que já está cuidando do caso e fará todos os exames necessários para a completa elucidação do fato.
 
“A secretária orienta, no entanto, que não há motivo para preocupações, pois todos os cuidados necessários estão sendo adotados, incluindo todos os protocolos de segurança, ainda que não se tenha nenhuma confirmação sobre essa suposta contaminação”, esclareceu a prefeitura através de nota.

O caso

Como já informado pelo Olhar Direto, a paciente fez uma viagem recente à Ásia, mas não esteve na China. A mulher apresentava sintomas de gripe. Em função dos casos do novo coronavírus identificados no início deste ano, a paciente foi isolada na unidade hospital para realização de exames e avaliação clínica com infectologista.
 
Uma equipe do Samu foi acionada para encaminhá-la ao Hospital Regional. Os profissionais de saúde que fizeram o atendimento seguiram todos os protocolos do Ministério da Saúde e a ambulância utilizada para o transporte passou por processo de esterilização e ficará sem ser utilizada até a próxima segunda-feira (10).
 
A Secretaria de Saúde destaca ainda que o Hospital Regional de Rondonópolis é a unidade de referência para atender casos suspeitos do novo coranovírus na região e que o caso será informado ao Ministério da Saúde.
 
Na manhã desta sexta-feira (07), foram recolhidos materiais para que sejam feitos os exames para comprovar se trata-se de coronavírus. Tudo será encaminhado para um laboratório de Cuiabá e, posteriormente, a outro do Rio de Janeiro (RJ) para a contraprova.

Coronavírus

A província chinesa de Hubei, epicentro da epidemia do novo coronavírus, o 2019 n-CoV, registrou 69 novas mortes, de acordo com atualização da noite de quinta-feira (06). Com isso, são 637 óbitos no país. Outros 2.447 casos foram confirmados apenas na região mais afetada, totalizando mais de 31.211 mil em toda a China.

O novo vírus é apontado como uma variação da família coronavírus. Os primeiros foram identificados em meados da década de 1960, de acordo com o Ministério da Saúde.

A variação originada na China foi nomeada oficialmente pela Organização Mundial de Saúde como "Doença Respiratória de 2019-nCoV" em 30 de janeiro. Ainda não está claro como ocorreu a mutação que permitiu o surgimento do novo vírus.

Ainda não se sabe como se deu a primeira transmissão para humanos. A suspeita é que tenha sido por algum animal silvestre. O tipo de animal e forma como a doença foi transmitida ainda são desconhecidos. Uma hipótese é que o novo vírus esteja associado a animais marinhos. Entretanto, ao menos duas pesquisas apontam outras possibilidades: uma delas cita a cobra e, outra, os morcegos.

Cientistas do Colégio Imperial de Londres estimaram que a taxa de transmissão do novo coronavírus entre humanos é de duas a três pessoas para cada paciente infectado. 

Foram identificados sintomas como febre, tosse, dificuldade em respirar e falta de ar. Em casos mais graves, há registro de pneumonia, insuficiência renal e síndrome respiratória aguda grave.

Confira a nota emitida pela Secretaria Adjunta de Atenção e Vigilância em Saúde:

Considerando a definição de caso suspeita estabelecida pelo Ministério da Saúde:

• febre e pelo menos um sinal e sintomas respiratórios (tosse e dificuldade para respirar e histórico de viagem para Wuhan/China)

Esclarecemos que a paciente não se enquadra como caso suspeito acima descrito. Entretanto o caso está sendo acompanhado e investigado para diagnóstico diferencial para síndrome gripal, conforme rotina do Sistema Único de Saúde.



© 2019 - JK Notícias - Todos os Direitos Reservados