Plantão
Saúde

Sorriso: Com caixão lacrado, familiares e amigos velam corpo de professora do município e estado

Publicado dia 15/04/2018 às 23h12min | Atualizado dia 16/04/2018 às 16h07min
No final da tarde o caixão voltou, agora lacrado, para que o velório continuasse.

O JKNOTÍCIAS esteve no velório da professora, Camila Ramos de Souza, de 29 anos, que acontece na capela anexa a Cemitério de Sorrio.

No local, o JKNOTÍCIAS apurou que o velório estava acontecendo com o caixão lacrado, segundo amigos e familiares, na tarde deste domingo, acontecia normalmente o velório com caixão aberto, quando uma ordem foi dada para que lacrasse o caixão ou que fosse feito e enterro rapidamente. Algo que preocupou familiares e quem estava presente no velório.

Os familiares então, comunicaram à funerária que era para o caixa ser lacrado.

Então a funerária compareceu à capela, interrompeu o velório, retirou o corpo e o caixão e levou para que o mesmo fosse lacrado.

No final da tarde o caixão voltou, agora lacrado, para que o velório continuasse.

Ainda segundo amigos e familiares da professora Camila, existe uma preocupação muito grande que a professora tenha sido vítima da gripe H1N1, pois nos prontuários do hospital está escrito da seguinte forma: Pneumonia? Influenza?

Familiares, amigos e colegas de trabalho, além de pais de alunos estão preocupados, pois desde a última segunda segunda-feira (09/04), quando começou a apresentar os sintomas., que a professora vem procurando atendimento médico na UPA e como recebeu alta, voltava a trabalhar normalmente nas escolas que dava aula, no município e no estado.

A professora teria pego somente um atestado de meio período no meio da semana quando não aguantava mais ir trabalhar.

 No momento em que o JKNOTÍCIAS estava conversando com familiares, chegou a informação que outra pessoa da família tinha dado entrada no Hospital regional de sorriso com os mesmos sintomas que a professora Camila teve.

Familiares saíram desesperados.

Segundo um familiar, quando Camila deu entrada no Hospital Regional de Sorriso, uma médica teria falado para tirar as crianças da ala onde a mesma estava, e teria falado:” A situação é grave, gravíssima!”

“O que preocupada a gente que não tem informações concretas, é que Camila teve contato com centenas de alunos, amigos e familiares, nós já ligamos para o secretario de saúde, e para outras autoridades do município e ninguém atendeu, nem deu uma reposta, só a secretária de educação Lúcia Dreschler esteve aqui!”, ressaltou um familiar.

Outro familiar falou: “Temos que ter uma resposta rapidamente, pois me falaram que o resultado de exames só sai daqui a 30 dias, mas se for H1N1 muitas pessoas podem estar correndo risco, até a gente que estava no velório com o caixão aberto e quem passou por aqui também, finalizou.

 

 

 

Fonte: Jonatha Kennedy