Sorriso: Em 15 dias, município teve 14 mortes por Covid-19; Risco de contaminação do coronavírus é muito alto

(66) 9 9982-8122


NOTÍCIAS

Sorriso: Em 15 dias, município teve 14 mortes por Covid-19; Risco de contaminação do coronavírus é muito alto

JKNOTICIAS com Assessoria prefeitura   

16 de Junho de 2021 as 13:54

Rede Social

O município de Sorriso vem passando por momento difíceis e graves perante a pandemia do Covid-19, não bastasse o alto número de casos positivadas, festas, aglomeração, falta de vagas na UTI, Sorriso também registra um número assustado de 14 mortes Pocovd-19 nos últimos 15 dias.

Nas duas últimas semana foram registradas festas clandestinas e aglomerações com cerca de mil pessoas em “bailes” a céu aberto durante as madrugadas.

As festas repercutiam dias depois no hospital de campanha, que já chegou a registrar cerca de 500 atendimentos diários, onde inúmeros casos positivados de Covid-189 foram detectados.

Dentre estas 14 mortes nos últimos 15 dias, estão jovem de 23 anos, mulher grávida, pessoas de meia idade, idosos e três professoras.

No boletim informativo desta quarta-feira (16/06) Sorriso tem 15.814 casos confirmados de Covid-19, 736 pessoas ativas, 53 pessoas estão internadas, sendo 15 em UTI e 38 em enfermarias. 14.880 estão curados.

Sorriso: Em 15 dias, três professoras do município morrem de Covid-19

Em 15 dias três professoras da rede pública de Sorriso morreram vítimas da Covid -19. As mortes por covid em sorriso estão crescendo de forma assustadora, pois o risco de contaminação de covid no município é considerado muito alto segundo a Secretaria de Saúde do estado.

A primeira morte foi de Lucinda Almeida da Silva, que completaria 34 anos no dia 13 de dezembro e aconteceu no dia (02/06). Lucinda integrava o quadro de profissionais da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) como professora desde 2014. Ela lecionava na Escola Municipal Rui Barbosa e também no Colégio Regina Coeli, da rede privada.

A professora estava internada no Hospital Regional de Sinop lutando contra a Covid-19. Na declaração de óbito foram relatadas a diabete tipo 1 e a obesidade como comorbidades. Esta é a 186.ª vítima da Covid-19 em Sorriso. 

A segunda morte aconteceu no dia (06/06) foi da professora Roseline Rodrigues de Souza Oliveira, 48 anos, que atuava como professora substituta na Escola Municipal Jardim Amazônia.

A Rosi estava internada no Hospital Regional de Sorriso lutando contra a Covid-19 e faleceu devido à congestão pulmonar, insuficiência respiratória, choque misto e covid-19. Ela era moradora do bairro Rota do Sol.

A terceira professora vítima da Covi-19, foi Eliane Schulz, de 39 anos, conhecida carinhosamente por alunos e pais de alunos como Lili. Ela era professora do Cemeis Pingo de Amor, é a 198ª morte por covid 19 em Sorriso.

O corpo de Eliane será levado para Tupãssi, no Paraná, onde moram os familiares.

Amigos e familiares lamentaram nas redes sociais a perda tão precoce da professora, que era funcionária pública dede 2006 e faria 40 anos em julho.

Eliane deixa marido e dois filho.

Nas redes sociais inúmeras foram as homenagens a professora:

“O Cemeis Pingo de Amor, com muita tristeza comunica o falecimento da Professora Lili, Eliane Schulz .Que Deus te receba de braços abertos. Para a família, amigos, colegas e alunos restam as boas lembranças. Que neste momento de dor Deus possa confortar nossos corações”, escreveu Elaine Brescansin

Melhor professora que já tive, nem acredito que isso aconteceu”, escreveu a ex-aluna Mariana Belé.

Mesmo com tantas mortes, muitas pessoas ainda levam a Covd-189 na brincadeira E fazem festas clandestinas e aglomerações, fazem com que os números crescem e o Hospital de Campanha sempre esteja lotado.

Algumas outras pessoas além de não acreditarem na gravidade da doença, ainda desacreditam da vacina e não utilizam mascaras ou itens de proteção para conter o contagio.

 

Sorriso e mais 26 municípios estão com risco muito alto para contaminação do coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) divulgou, nesta terça-feira (15.06), o Boletim Informativo n° 464 com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso. Comparado com a última semana, houve uma piora na classificação de praticamente todos os municípios. 

O documento mostra, a partir da página 11, que 27 municípios registram classificação de risco muito alto para o coronavírus. São eles: Água Boa, Araguainha, Arenápolis, Barra do Bugres, Barra do Garças, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campo Verde, Cláudia, Confresa, Guiratinga, Itanhangá, Juína, Lucas do Rio Verde, Luciara, Nova Mutum, Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santa Rita do Trivelato, Santo Antônio do Leste, São José do Povo, Sapezal, Sorriso, Tangará da Serra, Torixoréu e Vila Rica.

Outras 114 cidades estão classificadas na categoria alta para a contaminação do coronavírus. Nenhum município foi classificado com risco moderado ou baixo para a Covid-19.

Na última semana, o Estado tinha 22 municípios com classificação muito alta e outros 119 com nível moderado. Um dos índices que influenciam na classificação é o de lotação de UTIs, que hoje está acima de 90% no Estado.

Thank you for watching

Novo método para classificação

O método para definir a classificação de risco dos municípios foi aprimorado. A mudança foi publicada no Diário Oficial do dia 25 de março de 2021. Desde então, não é levado em consideração apenas o número absoluto dos casos dos últimos quatorzes dias, mas sim a média móvel dos últimos quatorze dias.

Assim, o município não sofrerá uma mudança brusca de um boletim para o outro; a cidade ficará na mesma categoria por pelo menos duas semanas, conforme sua média móvel de casos.

Também foi aperfeiçoado o cálculo dos casos acumulados. Antes eram considerados os casos acumulados a partir do dia 1º de dezembro de 2020. Com a nova metodologia, a análise será realizada sempre com base nos casos acumulados dos últimos 90 dias.

Confira as medidas de acordo com a classificação de risco:

• Nível de Risco ALTO

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO e MODERADO;

b) proibição de qualquer atividade de lazer ou evento que cause aglomeração;

c) proibição de atendimento presencial em órgãos públicos e concessionárias de serviços públicos, devendo ser disponibilizado canais de atendimento ao público não presencial;

d) adoção de medidas preparatórias para a quarentena obrigatória, iniciando com incentivo à quarentena voluntária e outras medidas julgadas adequadas pela autoridade municipal para evitar a circulação e aglomeração de pessoas.

• Nível de Risco MUITO ALTO

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO, MODERADO e ALTO;

b) quarentena coletiva obrigatória no território do Município, por períodos de 10 (dez) dias, prorrogáveis, mediante reavaliação da autoridade competente, podendo, inclusive, haver antecipação de feriados para referido período;

c) suspensão de aulas presenciais em creches, escolas e universidades;

d) controle do perímetro da área de contenção, por barreiras sanitárias, para triagem da entrada e saída de pessoas, ficando autorizada apenas a circulação de pessoas com o objetivo de acessar e exercer atividades essenciais;

e) manutenção do funcionamento apenas dos serviços públicos e atividades essenciais;

§1º Atingida determinada classificação de risco, as medidas de restrição correspondentes devem ser aplicadas por, no mínimo, 10 (dez) dias, ainda que, neste período, ocorra o rebaixamento da classificação do Município.

§2º Os municípios contíguos devem adotar as medidas restritivas idênticas, correspondentes às aplicáveis aquele que tiver classificação de risco mais grave.

§3º Os Municípios poderão adotar medidas mais restritivas do que as contidas neste Decreto, desde que justificadas em dados concretos locais que demonstrem a necessidade de maior rigor para o controle da disseminação do novo coronavírus.

Art. 6º O funcionamento de parques públicos estaduais seguirá as restrições estabelecidas pelos Municípios em que se encontrem e, na ausência de normas a este respeito, poderão ser utilizados, desde que observado o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas, ficando vedado o acesso sem o uso de máscara de proteção facial.

 

 

 



© 2019 - JK Notícias - Todos os Direitos Reservados