Hora Certa
Sorriso se torna a maior exportador de Mato Grosso total com um total de U$ 422,97 milhões
Fonte: A TRIBUNA
10 de Março de 2022 as 08:23
Sorriso se torna a maior exportador de Mato Grosso total com um total de U$ 422,97 milhões
INTERNET

Pela primeira vez desde 2019, Rondonópolis perde o posto de maior exportador de Mato Grosso para a cidade de Sorriso. Segundo dados do Ministério da Economia, Rondonópolis fechou os dois primeiros meses de 2022 com U$ 315,96 milhões em exportações, o equivalente a 8,3% do volume total exportado por Mato Grosso no mesmo período, ficando em segundo lugar do ranking estadual. Mesmo com a queda no ranking, a cidade teve crescimento de 9% nas exportações com relação ao mesmo período de 2021. Entre os municípios brasileiros, Rondonópolis aparece como 24º maior exportador, representando 0,7% do total exportado no período.

O primeiro lugar no ranking estadual no primeiro bimestre do ano foi o município de Sorriso, que exportou o total de U$ 422,97 milhões, passando assim à frente de Rondonópolis. Mas, nas importações, a cidade manteve-se em primeiro no Estado, importando em janeiro e fevereiro o total de U$ 183,61 milhões, o que representou um total de 33,8% do total importado por Mato Grosso. No Brasil, Rondonópolis figura como 44º maior importador no bimestre, o que representa 0,5% do total das importações do país. Com as exportações chegando a U$ 315,96 milhões e as importações a U$ 183,61, Rondonópolis fechou o primeiro bimestre de 2022 com superávit de U$ 132,36 milhões.

No período a China foi o país para quem Rondonópolis mais exportou, com valores atingindo U$ 97 milhões. Em segundo, a Tailância aparece como destino das exportações. Rondonópolis exportou no período um total de U$ 88 milhões ao país asiático. Na sequência, está o Vietnã, para quem foram exportados um total de U$ 32,9 milhões.

Já com relação às importações de Rondonópolis no primeiro bimestre, o Canadá foi o país de onde partiram a maior parte dos produtos importados, com U$ 37,1 milhões. Em seguida, vem a Rússia, de onde foram importados um total de U$ 36,6 milhões. E, em terceiro, está a Argélia, com U$ 25 milhões em importações.

Entre os principais produtos exportados por Rondonópolis, a torta de soja e outros resíduos da extração do óleo de soja representou 49% do total exportado, fechando o primeiro bimestre de 2022 como o produto mais exportado pela cidade. Ainda se destacam a soja, mesmo triturada, que representou 27% das exportações, o milho (6,8%), a carne bovina (6,7%) e o algodão (5,6%).

Os fertilizantes se destacam com o principal produto importado por Rondonópolis e, em janeiro e fevereiro, os fertilizantes azotados lideraram o ranking, representando 45% do total das importações, seguido dos fertilizantes potássicos (42%).

EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE MATO GROSSO CRESCE 55,4%

Mato Grosso está em destaque no mercado internacional neste primeiro bimestre de 2022, com uma expansão de 55,4% no volume de exportações, em comparação ao mesmo período de 2021. Dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostram que as commodities enviadas para outros países somaram US$ 3,8 bilhões, entre janeiro e fevereiro, enquanto no mesmo período de 2021 o valor somou US$ 2,4 bilhões.

Dentre os cinco produtos mais vendidos pelo Estado neste ano, a soja continua na 1ª posição com US$ 1,8 bilhão negociado. Seguido do algodão, com US$ 520 milhões; milho com US$ 495 milhões; tortas e outros resíduos extraídos do óleo de soja com US$ 442 milhões; e carnes bovinas, com US$ 318 milhões.

Os produtos mais demandados pelo mercado externo são a soja, algodão, tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja, milho, óleo de soja, carne bovina, madeira entre outros.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, os resultados obtidos pelo Estado demonstram a confiança de outros países na agropecuária que é produzida com excelência e sustentabilidade.

Atualmente Mato Grosso exporta para 108 países. Neste bimestre, a China liderou o ranking dos maiores compradores dos produtos, com a cifra de US$ 1,4 bilhão; na segunda posição ficou a Indonésia, com US$ 190 milhões; em terceiro lugar apareceu o Vietnã com US$ 184 milhões; na sequência a Tailândia, com US$ 179 milhões, e a Espanha, com US$ 168 milhões.