Hora Certa
Morador de rua espancado por personal fala pela 1ª vez; 'Nunca mais vou me libertar do prazer'
Fonte: METRÓPOLES
24 de Março de 2022 as 13:17
 Morador de rua espancado por personal fala pela 1ª vez; 'Nunca mais vou me libertar do prazer'
REDE SOCIAL

O mendigo Givaldo Alves, 48 anos, que foi flagrado fazendo sexo com a mulher do personal trainer, Eduardo Alves, dentro de um carro, no dia 9 de março em Planaltina, no Distrito Federal concedeu entrevista ao site Metrópoles, que foi divulgada nessa quinta-feira (24).

O mendigo iniciou contando que foi casado, tem uma filha de 28 anos e que peregrinou por cidades da Bahia, Tocantins, Minas e Goiás até chegar a Brasília. Desde então, alterna a rotina nas ruas entre abrigos públicos e casas de passagens.

Givaldo reafirmou que a relação sexual com a mulher foi consensual e que foi convidado por ela a entrar no carro, mesmo após dizer que ele não tinha dinheiro e que era morador de rua. “Eu andava pela rua e ouvi um grito: ‘moço, moço’. Olhei para trás e só tinha eu. E ela confirmou comigo dizendo: ‘Quer namorar comigo?’”, contou o morador de rua.

Em seguida, Givaldo relatou que falou para a mulher que não tinha dinheiro e que ela disse que poderia ser no carro. “Moça, eu não tenho dinheiro, sou morador de rua, só estou bem vestido. Não tenho condições de pagar nenhum hotel. Então, ela disse: ‘não pode ser no meu carro? E eu disse, agora você me calou’”, afirmou.

Negou o estupro

Givaldo rebateu as acusações do marido de que a mulher foi vítima de estupro por estar em surto psicótico. “Deus me colocou em um lugar cercado por câmeras que comprovam não ter havido nada disso (estupro). Se fosse outro morador de rua, possivelmente já estaria preso”, disse.

Pensou que fosse vingança

 

O sem-teto disse que só tomou conhecimento de que a mulher era casada no momento em que estava recebendo atendimento médico no hospital. Antes disso, ele imaginou que havia sido vítima de uma retaliação após testemunhar um motorista em um carro arrastando propositalmente uma mulher na região alguns dias antes.

Sem arrependimento

“Não posso me arrepender, porque não posso voltar atrás, se eu pudesse não olharia para trás para aquela voz doce e suave. Não posso me arrepender porque o prazer que ela me deu é uma coisa que todo homem queria ter e a dor só me transporta até ela”, garantiu Givaldo.

Entenda o caso

Repercutiu nas redes sociais no dia 15 de março a história de uma mulher que foi flagrada pelo marido, o personal trainer Eduardo Alves, fazendo sexo com um morador de rua dentro do carro. O caso aconteceu na cidade de Planaltina, no Distrito Federal, no dia 9 de março.

A cena do flagra foi gravada por câmeras de segurança de uma casa que mostram o carro estacionado na rua. Posteriormente, o marido aparece e encontra a mulher e o morador de rua nus dentro do veículo, transtornado ele começa agredir o mendigo.

Em áudios, a mulher contou que durante alguns momentos do ato sexual enxergava o homem como Deus e em outros momentos como o marido. Sandra, como foi identificada, disse ter sentido que se tudo tratava de um propósito divino. “Às vezes eu enxergava ele como Deus e outras vezes enxergava como o Eduardo, me confundindo, deixando minhas emoções me confundirem porque a minha sogra plantou a semente, minha sogra foi, me plantou essa dúvida e deixei essa dúvida entrar no meu coração”, afirmou.