Hora Certa
"Fui ameaçado com facão e não se importavam se meu filho ficaria cego", lamenta pai barrado em bloqueio na BR-163
Fonte: Olhar Direto
22 de Novembro de 2022 as 21:10
Olhar Direto

O autônomo Éder Rodrigues Boa Sorte, de 41 anos, contou que ele e o filho mais velho foram ameaçados por manifestantes com facões, que impediam a passagem por um trecho bloqueado da BR-163, em Sorriso. Eder e a família conseguiram seguir viagem depois de mais de três horas de negociação.

O medo do pai é que a cirurgia ocular do filho mais novo, de nove anos, fosse prejudicada pelos manifestantes que bloqueiam as rodovias em atos antidemocráticos, contra o resultado das eleições presidenciais. O menino espera há dois meses pelo procedimento avaliado em mais de R$ 15 mil, custeado pelo Município.

"Fui por várias vezes ameaçado por um deles que estava com um facão. Balançava e me mostrava, dizendo que eu não passaria. Dizia que não se importava se meu flho ficaria cedo ou que os demais morressem, pois não éramos melhores que eles".
 

No vídeo que viralizou nas redes sociais, o flho mais velho tenta acalmar o pai, que se desesperou com a possibilidade da cirurgia ser perdida. O menino ficou com medo com um dos manifestantes se exaltou.

Em um vídeo que viralizou nas redes sociais nesta terça-feira (22), o homem diz que a família pode passar se for a pé, já que carros não seriam permitidos. Eles conseguiram seguir viagem para Cuiabá através de um desvio.

"Chegamos [em Cuiabá] por um desvio que nos ensinaram. Fiquei muito desesperado, porque tentamos a cirurgia de tantos meios há mais de dois meses. O sentimento de impotência por não conseguir passar me consumia e me desesperei".
Alguns metros depois do local onde foram impedidos de passar, Eder e a família encontraram outro bloqueio dos atos antidemocráticos. No entanto, dessa vez não houve negativa na passagem. 
"Diziam que o motivo de não deixarem ninguém passar, nem mesmo ambulância, era que eles não podiam passar pelos bloqueios a frente. Fomos horientados pelos verdadeiros manifestantes de que deveríamos passar sem problemas por entre as cidades e que não seríamos proibidos. Somente caminhões". 

Eder explicou que não conhece os manifestantes e que recebeu ajuda de outros motoristas que tentaram defender. A família chegou em Cuiabá na manhã desta terça-feira (22), e o filho mais velho do autônomo conseguiu passar pelo primeiro exame médico. A previsão é que a cirurgia seja realizada no Hospital dos Olhos na capital ainda nessa quarta-feira (23). Para Eder, os manifestantes que impedem as passagens são “baderneiros”.
"Para ser bem honesto, estes que não permitem a passagem de ambulância e veículos com idosos e crianças não passam de baderneiros, pois nos demais bloqueios fomos muito bem orientados a passar por dentro das cidades e evitar a rodovia".