• RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • RAMALANTOTO
  • CuriosidadesDestaqueSaúde

    Em 7 anos, pai e dois filhos morrem vítimas de câncer no cérebro

    Até 2014, a família Hughes, do Reino Unido, tinha seis pessoas. Hoje, são apenas três: em sete anos, o pai, Ian, e dois de seus filhos morreram vítimas de tumores cerebrais.

    𝐀𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐝𝐞 𝐝𝐞𝐢𝐱𝐚𝐫 𝐬𝐮𝐚 𝐎𝐏𝐈𝐍𝐈𝐀̃𝐎 𝐨𝐮 𝐂𝐑𝐈́𝐓𝐈𝐂𝐀, 𝐟𝐚𝐜̧𝐚 𝐬𝐞𝐮 𝐏𝐈𝐗, 𝐜𝐨𝐦 𝐨 𝐯𝐚𝐥𝐨𝐫 𝐪𝐮𝐞 𝐩𝐮𝐝𝐞𝐫, 𝐞 𝐚𝐩𝐨𝐢𝐞 𝐨 𝐉𝐊𝐍𝐎𝐓𝐈𝐂𝐈𝐀𝐒.𝐂𝐎𝐌 𝐚 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐢𝐧𝐮𝐚𝐫 𝐭𝐞 𝐝𝐞𝐢𝐱𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐢𝐧𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚𝐝𝐨. 𝐅𝐚𝐜̧𝐚 𝐮𝐦𝐚 𝐃𝐨𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐂𝐇𝐀𝐕𝐄 𝐏𝐈𝐗: 𝟐𝟖.𝟏𝟓𝟏.𝟐𝟗𝟕/𝟎𝟎𝟎𝟏-𝟎𝟓 𝐑𝐀𝐙𝐀̃𝐎 𝐒𝐎𝐂𝐈𝐀𝐋: 𝐌𝐈𝐃𝐀𝐒 𝐏𝐔𝐁𝐋𝐈𝐂𝐈𝐃𝐀𝐃𝐄 𝐄 𝐌𝐀𝐑𝐊𝐄𝐓𝐈𝐍𝐆

    Oscar foi o primeiro a falecer. Ele tinha 9 anos quando morreu, em maio de 2014. Milo, o caçula da família, morreu em 2021, aos 5 anos. O pai da família faleceu em 2020, aos 49. As crianças passaram por um ano de tratamento contra o tumor no cérebro e o pai conviveu com a doença por quase uma década.

    Câncer de cérebro matou metade da família

    Oscar e Milo tiveram um meduloblastoma, um tipo de tumor que se forma no cerebelo e se espalha pela coluna, sendo mais frequente em meninos e os seus primeiros sintomas aparecem antes dos 9 anos. O câncer causa dores de cabeça, fadiga e náusea.

    Já Ian teve um glioblastoma, que causa sintomas semelhantes além de alterações de comportamento, incoordenação motora e déficits de fala em adultos.

    Os filhos que sobreviveram, Sebastian, de 20 anos, e Lucas, 15, além da mãe deles, Marie, passaram a fazer campanhas constantes incentivando a população a fazer exames de prevenção e prestar atenção aos potenciais riscos genéticos para o desenvolvimento de tumores.

    Nesta sexta-feira (3/5), a família lembra os 10 anos da morte de Oscar, a primeira da onda de perdas. Em um texto em homenagem à data, Sebastian afirmou que a dor da perda é indescritível.

    “A partir de hoje, vivi mais tempo separado de você do que em sua presença e ainda sinto que você era meu melhor amigo”, conta. “Penso em você em quase todos os dias e nunca poderei tomar uma cerveja contigo ou te convidar para ser meu padrinho de casamento. Fiz uma escolha em continuar, mas sinto sua falta todos os dias”, completa.

    A mãe da família, Marie, criou uma fundação que leva o nome de Oscar para ajudar na conscientização e na pesquisa de câncer de cérebro pediátrico. A intituição organiza corridas periódicas para arrecadar fundos — o próprio Oscar correu a primeira delas.

    Marie descreve a trajetória da família como sendo de “trauma em cima de trauma”. “Não posso tirar a dor da perda, mas vejo meus filhos navegando pelo luto com tanta bravura e honestidade que tenho aprendido com eles”, comenta.

    Em 2022, ela correu 50 km pelo litoral europeu em homenagem aos familiares que perdeu para a doença e para tentar arrecadar fundos para pesquisas científicas sobre o câncer cerebral. “Precisamos de novas opções de diagnóstico e de tratamento para que a luta não precise ser tão difícil quanto escalar uma montanha por dia”, afirma Marie.

    METRÓPOLES

    Faça sua denúncia, envie através de nosso WhatsApp, Fotos, Vídeos. Seus dados pessoais estarão protegidos, nos termos da Lei 13.460/2017. +55 66 99982-8122.

    Postagens Relacionadas

  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO
  • PADANGTOTO