DestaqueJustiça

MT: Advogado, que tentou matar ex que negou sexo, diz que agiu em legítima defesa: “Ela é mais alta e mais forte”

O advogado Nauder Junior Alves Andrade, que está sendo julgado pela tentativa de feminicídio de sua ex-namorada, entrou com recurso para que seu julgamento não seja realizado por meio de júri popular. Nauder, que assumiu sua própria defesa, argumenta que agiu em legítima defesa após ser agredido pela vítima, que, segundo ele, é mais alta e forte.

𝐀𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐝𝐞 𝐝𝐞𝐢𝐱𝐚𝐫 𝐬𝐮𝐚 𝐎𝐏𝐈𝐍𝐈𝐀̃𝐎 𝐨𝐮 𝐂𝐑𝐈́𝐓𝐈𝐂𝐀, 𝐟𝐚𝐜̧𝐚 𝐬𝐞𝐮 𝐏𝐈𝐗, 𝐜𝐨𝐦 𝐨 𝐯𝐚𝐥𝐨𝐫 𝐪𝐮𝐞 𝐩𝐮𝐝𝐞𝐫, 𝐞 𝐚𝐩𝐨𝐢𝐞 𝐨 𝐉𝐊𝐍𝐎𝐓𝐈𝐂𝐈𝐀𝐒.𝐂𝐎𝐌 𝐚 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐢𝐧𝐮𝐚𝐫 𝐭𝐞 𝐝𝐞𝐢𝐱𝐚𝐧𝐝𝐨 𝐢𝐧𝐟𝐨𝐫𝐦𝐚𝐝𝐨. 𝐅𝐚𝐜̧𝐚 𝐮𝐦𝐚 𝐃𝐨𝐚𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐂𝐇𝐀𝐕𝐄 𝐏𝐈𝐗: 𝟐𝟖.𝟏𝟓𝟏.𝟐𝟗𝟕/𝟎𝟎𝟎𝟏-𝟎𝟓 𝐑𝐀𝐙𝐀̃𝐎 𝐒𝐎𝐂𝐈𝐀𝐋: 𝐌𝐈𝐃𝐀𝐒 𝐏𝐔𝐁𝐋𝐈𝐂𝐈𝐃𝐀𝐃𝐄 𝐄 𝐌𝐀𝐑𝐊𝐄𝐓𝐈𝐍𝐆

Nauder foi preso em agosto de 2023, dentro de uma clínica de reabilitação, acusado de espancar sua ex-namorada até ela perder a consciência dentro de um apartamento em Cuiabá. O incidente teria ocorrido após a vítima recusar manter relações sexuais, o que enfureceu o acusado.

No recurso apresentado, o advogado alega que as provas não demonstram a intenção de matar, apesar da vítima ter sido atingida em uma área vital. Ele defende que o caso não deveria ser qualificado como tentativa de homicídio, mas sim como lesão corporal leve.

Segundo a defesa, o acusado agiu para se proteger das agressões da vítima. Nauder sustenta que a situação envolvia ambos sob efeito de entorpecentes, resultando em uma briga com lesões para ambos os lados.

“O que realmente se deu na data dos fatos é que o acusado se defendeu das agressões sofridas pela suposta vítima, que tem o tamanho e força bem superior ao do acusado, e acabou causando lesões corporais na vítima como também sofreu agressões pela vítima”, descreve trecho do recurso.

A juíza Ana Graziela Vaz Campos Corrêa está analisando o pedido do acusado.

Os fatos relatados indicam que a vítima, uma engenheira, estava em casa com Nauder quando ele saiu do quarto para usar drogas. Após retornar, ele tentou forçar relações sexuais, e ao ser recusado, iniciou uma sessão de agressões com socos, chutes e xingamentos. A vítima tentou se refugiar em outros cômodos da casa, mas foi alcançada e espancada, inclusive com o uso de uma barra de ferro. Eventualmente, ela conseguiu escapar e buscar ajuda em um condomínio próximo.

Faça sua denúncia, envie através de nosso WhatsApp, Fotos, Vídeos. Seus dados pessoais estarão protegidos, nos termos da Lei 13.460/2017. +55 66 99982-8122.

Postagens Relacionadas